Warning: in_array() expects parameter 2 to be array, string given in /home/larcc093/public_html/wp-content/plugins/wordpress-mobile-pack/frontend/sections/show-rel.php on line 37

Norma ISO para Alertas Públicos de Emergência

Alerta Público

Norma ISO para Alertas Públicos de Emergência. Situações como a tragédia de Mariana, em MG, e o ataque terrorista em Paris, colocam em relevo a importância de haverem sistemas de alertas públicos para respostas a situações de emergência. Sistemas bem planejados resultam, invariavelmente, na salvação de vidas e minimização de danos. Mas como devem ser tais sistemas de alertas públicos? Como planejá-los, testá-los e mantê-los adequadamente operacionais? Respostas para essas questões podem ser encontradas na norma ISO 22322:2015, “Societal security – Emergency management – Guidelines for public warning” (Segurança Social – Gerenciamento de Emergências – Guia para Alertas Públicos). Ela provê diretrizes para o desenvolvimento, gestão e implementação de alertas públicos antes, durante e depois da ocorrência de incidentes.

Haruo Hayashi, Líder de Projeto da ISO 22322, explica: “O tempo de comunicação é limitado e, geralmente, uma mensagem específica, envolvendo ação prática, tem que ser disseminada para um grande grupo de pessoas. Procedimentos simples, que enviam a mensagem eficientemente e produzem a resposta desejada, podem salvar vidas, preservar a saúde e prevenir rupturas maiores”.

O propósito de um alerta é atrair a atenção das pessoas durante o desenrolar de uma situação de emergência, através da estimulação de seus sensos auditivo, visual e tátil, para que tomem as medidas de segurança apropriadas e busquem informações adicionais sobre a situação em curso.

A função de disseminação do alerta deve assegurar que ele ganhe o máximo de atenção, levando em consideração as características e condições das pessoas expostas ao risco, incluindo os requisitos de grupos vulneráveis (idosos, crianças, portadores de necessidades especiais, etc). A ISO 22322 dá orientações sobre aspectos dos alertas públicos como, por exemplo, a seleção dos canais de alerta, como TV, rádio, telefone, jornais ou alto-falantes, para disseminar a informação.

Já a ISO 22324:2015, “Societal security – Emergency management – Guidelines for colour-coded alerts” (Segurança Social – Gerenciamento de Emergências – Guia para Alertas por Código de Cores), provê diretrizes para o uso de código de cores para informar as pessoas expostas ao risco, assim como o pessoal brigadista, sobre o perigo e a severidade da situação.

O código de cores para alertas é usado para notificar as pessoas sobre as mudanças no nível de alerta em situações de perigo contínuo e ajudá-las a tomar as ações apropriadas. A ISO 32324 vai conduzir a um melhor entendimento dos alertas por código de cores, pela redução das confusões e disparando respostas mais apropriadas em uma situação de emergência.

A ISO 22324 descreve várias cores e como elas podem ser usadas. Por exemplo:

  • Vermelho, é associado ao perigo, e deve ser usado para notificar, as pessoas sob risco, que ações apropriadas de segurança devem ser tomadas imediatamente;
  • Amarelo, é associado à precaução, e deve ser usado para notificar, as pessoas sob risco, para estarem preparadas para tomar ações apropriadas de segurança;
  • Verde, é associado a uma situação de segurança, e deve ser usado para notificar, as pessoas sob risco, que nenhuma ação é requerida.

Adicionalmente, outras cores como preto, púrpura, azul e cinza, podem ser usadas para indicar outras mensagens, como perigo fatal, informação suplementar ou quando não há informação disponível. Por exemplo, serviços meteorológicos usam mapas coloridos como sistemas de alertas preventivos, ao anunciar uma tempestade e fazer conhecer à população sobre o seu nível de perigo.

Stefan Tangen, Coordenador do Grupo de Comunicação do ISO/TC 292 (o comitê da ISO responsável pela norma), declarou: “A ISO 22322, que traz diretrizes para alertas públicos, pode ser usada em conjunto com a ISO 22324 e outras normas que estão em desenvolvimento, em tópicos como gestão da continuidade de negócios, resiliência organizacional, gestão de segurança e contra-medidas e controle de fraudes”.

A ISO 22322 e a ISO 22324 foram desenvolvidas pelo comitê técnico ISO/TC 292, sobre segurança e resiliência, cuja direção é da SIS, o membro da ISO pela Suécia. As normas podem ser compradas nos membros nacionais da ISO, no caso do Brasil, a ABNT, ou diretamente da ISO. Essas normais ainda não estão disponíveis em Português.

Fonte: www.iso.org